Paralisação. Informar para conscientizar.

 

O Sista e suas seccionais fizeram atos de protestos contra a nova lei trabalhista, pacotes contra o servidor público e cortes nos investimentos das universidades públicas.

 

 

 

 

 

 

 

 

Um dia antes da reforma trabalhista entrar em vigor, centrais sindicais contrárias as mudanças aprovadas pelo Congresso Nacional e sancionadas pelo presidente Michel Temer, fizeram ações em protesto, nesta sexta-feira (10), por todo o país.

 

 

Em parceria com a ADUFMS, o Sista manteve-se presente nesta manhã de sexta-feira, fazendo panfletagem nos portões da UFMS e do Hospital Universitário. Após o ato, os sindicalizados foram ao encontro dos estudantes e da população no corredor central da UFMS, onde foram realizadas performances artísticas para chamar atenção de quem passava pela universidade.

 

 

A panfletagem teve por objetivo informar aos acadêmicos e à população que transitava pelo local, sobre os perigos da nova lei trabalhista como as privatizações e terceirizações do serviço público. Pacotes contra o servidor público, como o fim da estabilidade, aumento da previdência de 11% para 14% e MP 805/2017 que adia ou cancela os aumentos acordados em 2016.  Perdas que as universidades federais sofreram com o corte de 44% nas pesquisas e cerca de 20% de cortes do seu orçamento.

 

 

 

 

As 16 horas os manifestantes fizeram o velório e enterro da CLT, na praça Ary Coelho com a presença de várias entidades sindicais.

 

 

 

Deixe uma resposta